segunda-feira, 27 de junho de 2011

Blogo porque preciso, relembro porque te amo

 
     Memória fotográfica. O que tu se lembra de cada momento que viveu? Sua namorada, que cara ela fazia que você adorava? O caminho de volta pra casa? O céu de cada noite?
     São algumas coisas que lembro de uma última namorada; Re-lembro, pois assisti "Viajo porque preciso, volto porque te amo". O filme é a memória fotográfica, literalmente, de um geólogo que tenta buscar em uma viagem de trabalho o esquecimento da antiga amada. Com uma câmera fotográfica, mais uma super 8 e uma câmera digital, como ele mesmo relata, registra essa viagem, em primeira pessoa, narrando seus pensamentos e anotações do trabalho. Poucos filmes relatam tão profundamente a visão de um homem. Esse, tipicamente nordestino, narra com jargões populares, sotaque e pensamentos arretados, sobre tudo que o cerca e tudo que ele quer esquecer.
     Não é fácil esquecer alguém quando se está em tédio. E tu sente na pele o que é isso. É você lá vivendo essa memória fotográfica.

     Com ritmo da narrativa bem lento, não desamine e insulte o filme em primeiro momento. É um filme experimental, que utiliza sobras de filmagens de um documentário dos anos 90, com imagens de 4 estados do nordeste. Junto com algumas filmagens atuais. Genial é a montagem dele.

     Sem personagens "cools", sem uma trilha bonitinha; O retrato de um nordestino nunca foi tão bonito, embalado por "morango do nordeste" e "dois".

Nenhum comentário: